Tropeço

Nesta minha caminhada pela vida,
saio a noite pelas ruas, e, tropeçando
em pés descalços, vou levando um pouco
de alento num cobertor singelo, para aquecer o frio
da noite que castiga o corpo que dorme
no duro chão da calçada, em colchão de papelão...

Da fome, tapeada com um gole de água ardente,
levo o leite quente, em garrafinha plástica,
deixada ao lado do corpo inerte, no sono cansado,
junto com um pãozinho com margarina, para quando
o torpor do corpo dorido despertar para mais um dia
de catador de papel ou algum outro reciclável...

Tropeço em pequeninos pés descalços, de crianças
desgarradas de uma família, que, já nem sabem se têm, e,
dormem ainda, mesmo sol brilhando no céu, pois a cola aspirada
ainda deixa seu efeito, num corpinho magro, de roupas rotas,
e dormem, talvez sonhando um sonho melhor, do que este
de estar a dormir, nas calçadas da cidade...

Tropeço nos meus próprios pés, pois sei que meus cobertores
singelos, não cobrirão a todos os que são desprovidos de um lar.
Tropeço nas pedras deste caminho, pois sei que o leite e o pãozinho
que entrego com carinho, não alimentará todos aqueles
que têm na fome a companheira diária...

Tropeço... nesta minha fragilidade,
nesta minha impotência, nesta minha fraqueza,
de fazer tão pouco, para o tanto que
precisa ser mudado...

Tropeço...mas, não desisto de tentar,
mesmo nesta minha insignificância,
não mais tropeçar, em pés descalços, e,
erguer com Fé
a bandeira do Amor,
do Respeito e da Solidariedade!...

Thais S Francisco
"beija-flor"
São José dos Campos/SP

(voluntária em prol dos irmãos menos favorecidos)

Este desabafo de alma em poesia,
está fazendo parte da Ciranda Tropeço
no site do Poeta Paulo Nunes Junior
www.paulonunesjunior.com.br

Clique para Enviar essa Página 

::: Menu ::: Voltar :::

 

 

Imagem:Com Arte Final de Vivian S Francisco

Formatadado:CrisJuan