Senhor,
Quando minha alma estiver preparada
Para trabalhar em tua vinha,
Sei que deverei ir pela estrada mais apertada
E, talvez, no começo hesite um pouco,
Porque, sendo assim apertada a porta
Deverei ir largando uma a uma, as quinquilharias,
Que por tanto tempo me pareceram importantes "Ter"
Às quais busquei por valores derradeiros...
E, na busca, trilhei os ancestrais caminhos,
A cata de padrões, papéis, status,
Coisas que me eram essenciais,
Mas, agora sei que elas se revelarão
Impecilhos ao acesso dos meus limitados
Interiores umbrais verdadeiros!!

Mas, estarei com o bornal que me deste à Alma:
- Inacessível a ladrões, ferrugnes e traças.
E quanto mais farto o bornal se faça,
Mais leve fica e mais curta a jornada,
Embora caminhe, Senhor, pelas veredas
Da própria confiança e segurança que conquisto,
Confesso que assusta-me a Alma,
Ainda ir tão devagar!!

Não te importas com meu atrazo, Senhor??
Não, porque não medes Tempo, Espaço, Peso, Tamanho...
Dimensões puramente humanas, dispensáveis para Ti.
Senhor, não lamentas ver-me curvada
Sobre o emaranhado de meus enganos??
E a abundância das lágrimas que me rolam por dentro
Pelos condicionamentos e convencionamentos,
Que te colocaram tão longe,
Quando estavas tão perto!!

Esperas compassivo, Senhor,! Porque sabes do meu Amor!!
Porque sabes que quando eu atravessar o portal estreito
Da tua vinha, terei antes, no caminho, forçosamente,
Regressando ao meu próprio interior,
E estarei despojada de tudo que julguei importante "TER"
Me entenderei ao inverso do que julquei "SER"
Porque só em ti, Senhor, "EU SOU"
Os Versos do poema do meu "EU SUPERIOR"


Autora Maria Mercedes Paiva
Direitos @utorais Reservados

Clique para Enviar essa Página 

::: Voltar :::

 

ArtFinal:CrisJuan