Maria Mãe!

- Fátima Irene Pinto -

Das poderosas e das humildes,
das executivas e das que catam lixo nas ruas.
Das bem casadas, das rainhas do lar e das que
nunca tiveram referência ou mesmo onde morar.

Das que ainda oram a Deus e
das que nunca ouviram falar.

Das equivocadas, das desorientadas,
das siliconadas, das que se prostituem por
falta de base familiar ou até por incentivo,
dentro do próprio lar.

Das que cultuam insensatamente a beleza de fora
e malbaratam a beleza de dentro, a única que um
dia efetivamente poderão carregar.

Das que se virilizam para vencer na vida e são
cabalmente derrotadas naquilo que sua Alma mais
anseia realizar.

Das que ensinam e das que aprendem,
das que lavam banheiros, das que batalham na roça,
das que se vestem de branco, das de dupla ou de tripla
jornada, das togadas, das adictas.

Das viúvas, das separadas, das esquecidas, das excluídas,
das que mofam nos asilos à espera de que um filho generoso
venha lhes visitar.

Das avós cheias de sabedoria,
das matriarcas valorosas e das que
viraram um fardo dentro do próprio lar.

Das bem nascidas e bem criadas ou das meninas
perdidas nas ruas, esquecidas nos orfanatos,
das que nunca foram queridas ou desejadas,
das que foram cruelmente abandonadas à própria sorte.
Das violentadas, maltratadas, assediadas, encarceradas
em grades reais ou invisíveis.

Das que, neste momento,
estão dando à luz e das que choram o filho amado
que partiu e foi morar com Jesus.

Das realizadas, das brilhantes,
das expressivas, das assertivas, das plenas!

Das que neste momento amargam dolorosas penas.


Maria de todas as mães,
Maria de todas as mulheres,

ROGAI POR NÓS!

Fátima Irene Pinto
Descalvado - SP - 30.04.2008
www.fatimairene.com
Direitos Autorais Registrados

Clique para Enviar essa Página 

::: Menu :::

 


ArtFinal:CrisJuan