CAIS
Maria Mercedes Paiva
 
Minha alma é um  farol longínquo e ermo,
lançando luzes em todas as direções
em que te busco, mar afora,
no oceano de tua ausência!
 
Meus dias são ancoradouro
pousado no tempo...
suspenso entre a saudade e a esperança...
Cais só de partida à vastidão e vai...
 - batel de minhas desorientadas ânsias !
 
 
A saudade põe-me alerta,
a tua espera!...
Ruge, rude e vem o temporal...
listras de fogo 
 trons  ecoando tons, pela estiva...
portas abertas ao vendaval!!
 
Desta solidão sou sentinela!
Por mais alta a maré...
Por mais forte a procela...
 Resistirei de pé!
 
Sempre depois, vem a calmaria
e marolas macias,
me alcançam nessa restinga,
colhendo as rendas de meus versos na areia
e as conchas vazias de meus sonhos dispersos,
que  deixei cair, 
ao me equilibrar, na maré cheia!
 
Eme Paiva
23.01.07

 

 
CAIS
Thais S Francisco
 
Em águas revoltas,
neste meu mar de solidão
busco a luz do teu olhar
 como farol abençoado
a nortear meus sentimentos
em escuras noites perdidas..
 
Na esperança da vida
busco aportar meu coração em
ancoradouro seguro
no mesmo cais em que
na angustia de uma saudade,
solitária, choras  a me esperar..
 
Parti deste cais em dias idos,
sem saber deste amor
que no peito já se fazia por ti,
e, que somente a distância
me fez entender que tua ausência
é que me punha em tenebroso temporal,
perdido em ondas gigantes
de dor e saudades..
 
Como pude partir assim?
Cego, não li em teu olhar
que era para mim este
amor teu, guardado
timidamente dentro de ti
somente desejando a mim, 
entregar tua essência pura
do amor que apenas queria me amar..
 
Deixei-te no cais
a somar tuas lágrimas
com as águas deste mar,
que, revoltando-se com esta minha ausência
 fez-me sofrer a dor da saudade
imensa que de ti senti, ao fechar meus
olhos, e antever tua imagem
tal qual sentinela, firme, de pé.
no cais desta nossa vida
na esperança da minha volta..
 
Ahh!! Farol abençoado...
 luz bendita a brilhar em teu olhar
guiando-me de volta ao cais,
me permitindo aportar em segurança
nos braços do teu abraço
e nos meus, a te aconchegar
em  carinhos
sussurrei aos teus ouvidos
palavras súplices de teu perdão
na entrega desta minha essência
que chega tal qual poesia
em versos que ora, apenas versejam
o meu Amor por ti...
 
Perdoa...Amor...
Volto, para não mais partir...
 
Thais S Francisco
"beija-flor"
23.01.07
 



Porto Seguro

Marise Ribeiro

 

Em meu interior havia procelas, tormentas,

Inundando com fúria a alma em agonia

Fazendo-me lutar com o leme na incerteza

Se um dia daria bom rumo nessa vida vazia.

 

Olhava as estrelas, e não via a noite,

Navegava contra a maré sem atingir o horizonte,

Percorria portos sem direito a pernoite,

Minhas verdades sofriam sempre um desmonte.

 

Singrei por muitos anos mares bravios,

Navegante solitária de desafios,

Até que o farol do meu coração iluminou um cais

De um amor do qual não desatracarei jamais.

 

Deste-me terra firme, um porto seguro,

Tiraste-me do profundo abismo escuro.

Hoje, tenho a ti e a brisa que nos acaricia,

Nossa nau flutua ao sabor da calmaria.

Marise Ribeiro

24.01.07
www.mariseribeiro.com

 

 

Ao Sabor da Calmaria

Eda Carneiro da Rocha

 

Ao sabor da calmaria ,fiz-me tua!..

Te ungi, e de todas as procelas

dei-te meu coração, como um porto!

 

A segurança deste amor, me fez rainha!

Conservo-te, em minha vida, como farol,

iluminando meus dias que virão,

amparados por ti que me deste a mão!..

 

Gaivotas que passavam olhavam espantadas,
a grandeza de nosso amor

que só ansiava por um momento:

O da Posse Real!..

 

Deste bailado mágico entre macho e

fêmea que brincavam, ao sabor dos ventos,

esperando a hora de sucumbir alma e

corpo, nessa orgia triunfal!..

 

Te amo, meu veleiro encantado.

Sou tua eterna namorada.

Te esperarei sempre.

à beira do cais,

para selarmos de vez

 este pacto que já dura uma eternidade,

antes que passe essa loucura,

em ter meu corpo no teu,

minha alma, na tua!..

 

Eda Carneiro da Rocha

" Poeta Amor"
07.02.07
www.albumpoeticoeda.com
 

  Clique para Enviar essa Página

Menu ::: Voltar

 

Imagem colhida na internet sem menção a autoria
Piano: Emile Pandolfi " Les Miserables Medley "
Formatação Thais " Beija-flor "
Nota: Este Quarteto já estava pronto antes que virasse bela Ciranda
hospedada em  http://www.amorsonhosepoemas.com.br/cirandas/cais/index.htm

 

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS