Compaixão  Universal


Eles estão ao nosso lado desde que a Humanidade
passou a ter consciência de si mesma.


Servem de alimento, vestimenta, calçado.
São amigos fiéis e nada cobram por tantos serviços.


Estamos falando dos Animais, esses seres que apesar de
nos doarem tanto, são as vítimas preferenciais
de nossa crueldade.

A cada ano, milhões de bois, carneiros,
coelhos e frangos são sacrificados para nos
alimentar, vestir e calçar.

Descuidados, matamos, retiramos peles e ossos,
aprisionamos, cozinhamos, sem nos deter para refletir
sobre essas criaturas que, mergulhadas na
inconsciência espiritual, nos sustentam o corpo físico.

O mais grave não é a indiferença pela sorte dos bichos.
O doloroso na espécie humana é a crueldade com que
tratamos esses companheiros de jornada.

Se é válida a escolha de alimentar-se de carne,
o mesmo não se pode dizer do mercado de peles e
dos milhares de animais sacrificados para que os
homens tenham artigos de luxo.

Uma norma deveria reger a nossa vida:
- o limite entre o necessário e o supérfluo.

Uma coisa é usar os animais para sustentar o corpo,
transformando-os no alimento necessário.
Bem diferente é matá-los cruelmente por prazer,
em caçadas que divertem apenas os caçadores.

Igualmente abusivo é arrancar a pele dos animais
apenas para ostentar casacos e roupas caras.
E o que dizer dos pássaros mortos para retirar
as plumas coloridas?

Pobres animais,
cujo único crime foi terem sido criados
com belas plumagens ou pelos macios...

Nos dias atuais, já não é mais possível calar-se
diante dos excessos que a Humanidade comete.
A mortandade dos bichos para satisfazer vaidades
e excessos é um crime com o qual
não deveríamos compactuar.

Felizmente, a evolução moral já começa a se impor.
Por isso, cada vez mais vemos pessoas e organizações
que se preocupam com o tratamento dado aos animais.
É a era da Compaixão Universal que inicia.

Sim, compaixão com esses irmãozinhos menores,
que são também criaturas de Deus.
Amá-los, ser-lhes gratos é o mínimo que um
coração sensível deveria cultivar.

Os animais são princípios espirituais em evolução.
Também estão aprendendo, como todos nós.
A diferença é que temos consciência de nós mesmos.

Em nós, seres humanos, há um Espírito que pensa,
age, tem livre arbítrio. Nos animais, o Espírito
ainda não existe, mas, com o passar dos milênios,
eles evoluirão, pois Deus nada faz sem um objetivo
profundo e sério.

Para finalizarmos este programa,
selecionamos trecho do texto:


" Apelo em favor dos Animais " .

Vós, que vedes luzes nestas letras que traçam
a evolução espiritual, tende compaixão dos pobres animais!

Sede bons para com eles, como desejais que
o Pai Celestial vos cerque de carinho e de amor!

Não encerreis os pássaros em gaiolas...
Renunciai às caçadas...
Acariciai os vossos animais!
Dai-lhes remédios na enfermidade e repouso na velhice!

Lembrai-vos de que os animais são seres vivos,
que sentem, que pensam, que se cansam,
que têm força limitada, que adoecem,
que envelhecem...

Os animais são vossos companheiros
de existência terrestre!
Como vós, eles vieram progredir,
estudar, aprender!
Sede seus anjos tutelares...
Sede benevolentes para com eles,
como é benevolente, para com todos,
o nosso Pai que está nos céus!



Autor:

Redação do Momento Espírita,
com versos do livro Gênese da alma,
de Cairbar  Schutel
Editora: O Clarim.

* Mensagem Recebida do Amigo e Poeta Paulo Nunes

Clique para Enviar essa Página

 Menu ::: Voltar


 

                                  

                                 

                                                    

 

                                                                                

 

 

Imagens Colhidas Na Internet sem Mencionar Restrição
Formatado por Thais "beijaflor"
19.07.2009